quinta-feira, outubro 22, 2009

Nem sempre é o que parece...



Estou retomando o convívio com o meu Petit Lenormand e as cartas para hoje foram O Cavalheiro + A Criança + A Cegonha. Na hora tomei um susto, imaginado mil coisas dentre elas até uma possível gravidez. Até que, coisa de meia hora atrás, recebi um recado de um ex-professor meu avisando que tinha postado no youtube um trabalho do meu grupo, um troço hilário sabe, que nem eu mesma lembrava mais...
Eu achava que o Cavalheiro fosse meu marido, mas não. Foi simplesmente um rapaz trazendo diversão para o meu fim de tarde.

sábado, outubro 10, 2009

Bom, pelo teor da última conversa, acho que estamos habitando no mesmo planeta. Continuamos com gostos completamente diferentes mas pelo menos nos achamos por aí, entre uma conversa e outra estamos começando a descobrir o que é ter uma companhia. Espero que desta vez seja de verdade.

sexta-feira, outubro 09, 2009

Primavera mais sacana, hein... Frio, chuva, que saco.
Se bem que mais tarde eu assisto novelinhas mexicanas debaixo das cobertas e morro de rir do ator que usa quilos de base, sombra e rímel. Que loucura. Incrível que é difícil se viciar em algo que preste, né... Assisto novela mexicana na maior empolgação, não sei que mau-gosto é esse, mas eu aaaaaaaaaaaaaamoooooo as histórias esdrúxulas, as canastrices e, principalmente, o figurino abusado, eles abusam e exageram muuuuuuuuuuuuuito. E eu adooooooooooooooroooooooooo!
Falta do que fazer dá nisso.

quinta-feira, outubro 08, 2009

Queria dizer tantas coisas de forma direta
para que todas as minhas palavras fossem direto ao seu destino
sem errar o percurso, sem desvios ou atalhos que pudessem fazê-las perderem-se pelo caminho.
Queria estar frente a frente porque assim veria tudo, mesmo com os olhos mais míopes do mundo e então
eu veria o meu destino, a minha vida e aí teria certeza que mesmo com toda a diferença,
mesmo que de mundos e gostos completamente diferentes
mesmo sabendo que nunca e sob hipótese alguma compartilharemos nossas vidas
neste momento imaginário em que eu visse meu mundo estampado no teu rosto
eu saberia o que é verdadeiramente estar acompanhada.
Era só isso.

domingo, outubro 04, 2009


Tem dias que dá vontade de chutar o balde, fazer o que dá na telha e esquecer um pouco minhas limitações, de seguir regras, fazer tudo certinho. Assistindo um episódio de Desperate Housewives, uma das personagens principais, uma mulher que não mede esforços para ser "A" perfeita, se vê forçada a ficar num casamento porque o marido a chantegeia. Ao procurar um advogado para ver se conseguia o divórcio sem sofrer chantagens, se depara com um homem extremamente sedutor, que a faz ficar em dúvida entre trair o marido ou não. Daí o cara, um advogado bem cafa e gostosão, diz que ela sempre arranja desculpas para não transar com ele porque ela prefere ser boa a ser feliz.

Percebo que muitas vezes eu ajo assim também. Sendo sempre "boazinha", pensando em ética, moral e bons costumes, que bosta. E agora mesmo tenho consciência que não tenho mais tanto tempo a perder sendo boazinha. Ninguém pensa em ser bonzinho comigo, então... Eu tenho que pensar na minha felicidade e não deixar pros outros a responsabilidade de me fazer feliz.